Devagar com o andor que o santo é de barro

Ontem foi dia de divulgação de índices do mercado imobiliário. O site do Secovi (Sindicato da Habitação), fonte oficial dos números, indica que os resultados da pesquisa apresentam relativa estabilidade no mês de maio. Em maio, foram vendidas 2.149 unidades residenciais na cidade de São Paulo, uma redução de 1,6%, em relação ao mês de abril, que registrou 2.185 unidades vendidas. Mas se for comparado com o mesmo maio de 2014, o aumento foi de 3,3%, quando foram comercializadas 2.080 unidades.

Após a divulgação da Pesquisa do Mercado Imobiliário, feita pelo Departamento de Economia e Estatísticas do Secovi-SP, pipocaram reportagens em sites de grande prestígio (às vezes com o mesmo texto): “Mercado Imobiliário sente o impacto da crise”, ou mais adjetivado, “sentiu a forte desaceleração da economia”.

Peraí! Como dizia a minha santa mãezinha “devagar com o andor que o santo é de barro”. Claro que estamos passando por um momento pesado de crise, com aumentos estratosféricos nos bens básicos de consumo, como a alimentação. Quem está sentindo o forte impacto da crise é a população, não um setor inteiro, que vinha aquecidíssimo nos últimos anos. E a diferença nas vendas de imóveis de abril para maio foi de apenas 36 unidades.

Lamento quando penso que antes a oferta de trabalho na construção era tanta que muitos haitianos tiveram de ocupar os postos nos canteiros. Mas o que não aguento é um discurso alarmante de que tudo está mal para o mercado. Não está. Se estivesse, facilitaria a compra da casa própria para muita gente.

Outro número do setor, divulgado no último dia 13, foi o ranking do site ReclameAqui, com as dez construtoras que mais receberam reclamações no site. Na avaliação dos consumidores, duas têm reputação regular, uma ruim, e sete construtoras não são recomendadas para fazer negócios.

Atrasos na entrega, discrepância financeira em distrato e financiamento, como abordados nos posts anteriores, problemas na construção, entre tantos outros fazem parte das corriqueiras reclamações. Mas o ranking foi pouco divulgado.

Outro problema das informações publicadas ontem é sobre a oferta de imóveis. Os sites divulgaram que existem em São Paulo hoje um estoque de 28.100 unidades, na planta, em construção e prontos. O que alguns esqueceram de avisar é que isso é a contabilidade dos últimos 36 meses. A oferta está bem maior. Essas quase 30.000 unidades são facilmente encontradas juntando apenas três bairros da zona leste. Vale destacar que se estima que o déficit habitacional em São Paulo é de 670.000 moradias. Gente demais precisando de casa própria, mas com acesso dificílimo.

Alguns leitores do seumetroquadrado.com.br perguntaram se o setor está assim tão ruim, uns até com dó dos construtores. Se está ruim para quem faz e vende, então, concluo que chegou a hora do comprador aproveitar. Mas não faça nada na pressa. Pesquise no Procon, no ReclameAqui, veja a reputação dos envolvidos na construção, venda e incorporação. Têm empresas trabalhando direitinho, mas, como em todos os setores, têm picaretas também.

Um comentário sobre “Devagar com o andor que o santo é de barro

  1. Pedro Henrique Fogaca Responder

    Muito legal o seu blog esta indo muito bem gostei!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *